domingo, 21 de outubro de 2007

17/10

Hoje fiz uma reunião a distância com os alunos para esclarecer dúvidas sobre a aplicação das entrevistas.No vídeo abaixo estão alguns trechos da reunião. (Gládis)





A tarefa das entrevistas foi passada na na nossa tradicional reunião vespertina. Ao chegar em casa fui logo ligando para duas tias minhas que tinham entre 20 e 30 anos, depois falei com minha mãe.
Na quinta-feira, cheguei na escola e entrevistei mais dois colegas meus, e ao meio-dia foi à vez de meu pai. Até aí tudo rápido e fácil.
À tarde tive de pedalar até a loja de minha avó (que fica a uns 2km de minha casa) entrevistá-la e também encontrei um cliente dela que por sorte tinha exatamente 50 anos. Porém a entrevista com ele não foi nada fácil, pois o dito cujo era teimoso que só vendo. Com minha avó foi um pouco mais rápido. Apesar de tudo fazer as entrevistas foi bem legal. ( Guilherme)
Começou a reunião quando todos os alunos chegaram, mas um dos alunos tinha faltado, o Lucas.
A dona Gádis que estava conversando com a gente pela web cam, pois estava de licença e não podia estar presente, começou comentando sobre as entrevistas que tínhamos que fazer com oito pessoas das seguintes idades:20 a 10 anos, 20 a 30, 30 a 50, e com pessoas com mais de 50, só que podíamos entrevistar duas pessoas por idade.
A nossa vídeo conferência não estava muito boa porque o som estava meio ruim,mas deu para entendermos tudo.Tiramos nossas dúvidas perguntando mais detalhes. Eu fiz as entrevistas com as oito pessoas, que era o combinado.Consegui ver a diferença como era antigamente e como é hoje em dia.Os mais jovens levavam quase toda a entrevista inteira na brincadeira, já os outros que tem mais idade conseguiram entender e levaram mais a serio.
Eu demorei dois dias para fazer a entrevista com todos e mais ou menos 10 ou 15 minutos para fazer cada entrevista.
(Amanda Regina )

Bom! Tivemos uma vídeo-conferência com a Dona Gládis, foi muito legal, é diferente você falar com uma pessoa ali na sua frente e estar falando com ela via web. No começo, tivemos uma dificuldade no som mais foi bem rápido. Depois deste pequeno problema, a D. Gládis nos passou a primeira tarefa, tínhamos que fazer uma entrevista sobre o tema do projeto com oito pessoas, duas com mais de cinqüenta anos, duas com entre trinta e cinqüenta, duas entre trinta e vinte e duas entre vinte e dez. Houve algumas dúvidas, mas tiramos ali mesmo com a D. Gládis. Para fazer esta entrevista que foi a primeira tarefa não encontrei problema algum, a única dificuldade foi que algumas pessoas não entenderam certas questões, mas eu expliquei e deu tudo certo e na sexta feira de manhã que foi a data combinada para terminar estas entrevistas já estava tudo pronto.
(Alessandra)

Houve uma reunião do grupo, mas esqueceram de me avisar e por isso não participei e o Guilherme ficou de me entregar depois, mas ele não me encontrou em casa, por isso quem me deu as informações foi o Marcelo, já na quinta-feira, e depois o Guilherme me deu as folhas para eu fazer a entrevista.
As entrevistas foram um pouco corridas e eu não precisei explicar muito. Mas na sexta-feira eu acabei por esquecer as entrevistas em casa e um amigo meu, o Guilherme, emprestou a bicicleta dele para eu ir a minha casa buscar . Mesmo assim, faltava uma entrevista que foi feita com um técnico que estava instalando a rede nos computadores da escola. ( Lucas)


Nós tivemos uma vídeoconferência foi muito legal estava bem divertido a dona Gládis da casa dela e nós do colégio, ela nos explicou como seriam feitas as entrevistas e no mesmo dia já comecei a fazê-las. Nossa 4ª missão foi a entrevista sobre o uso das tecnologias na escola . Foi muito difícil para alguns, especialmente os mais velhos, mas ainda assim estava muito legal. Adorei saber como eram as tecnologias há alguns anos atrás. ( Marcelo)
À tarde chegamos na Sala Informatizada e tivemos que esperar um pouco para todos chegarem. A Prof. Gládis conversou conosco e nos explicou cada detalhe do que teríamos que fazer,ela estava nos dando instruções e nos orientando de sua casa pela web cam,pois está de licença porque quebrou o pé. Nossa comunicação foi um pouco difícil pois as caixas de som ficavam fazendo barulhos estranhos.
Era uma entrevista com 8 pessoas sobre TICs c que utilizaram ou utilizam na escola que estudaram ou estudam. A entrevista foi da seguinte maneira: tivemos que entrevistar duas pessoas de diferentes faixas etárias de 10 a 20,de 20 a 30,de 30 a 50 e de 50 pra cima.
Eu fiz entrevistas com pessoas do meu bairro, demorei um dia para fazer todas e levei de dez a quinze minutos entrevistando cada pessoa.
Foi bem legal saber como eram diferentes as escola dos mais velhos comparando com o o que é a nossa hoje e também ver o que mudou de uns tempos pra cá. (Amanda Rodrigues)

2 comentários:

Prof. Teresa disse...

Olá! De Portugal um abraço e parabéns pelo excelente trabalho! Adorei o diário de bordo! Boa sorte no Concurso!

Fátima disse...

Oi!
Estou torcendo por vocês.
As dificuldades para trabalhar com TICs em nosso país são tantas que participar de um projeto desses já é uma vitória.
Abraços.